Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

She

Faz 2 anos que soube que ia ter uma menina. Uma menina não planeada, depois de 3 rapazes planeadíssimos. Depois de uma gravidez não planeada e nem sequer muito desejada logo quando soube (tinha um Vicente minúsculo em casa e mais dois mais velhos que davam muito trabalho). Depois de um grande desejo de toda uma vida de ter pelo menos uma filha, uma menina entre os rapazes. Faz agora 2 anos que me senti completa. Mas faz 2 anos também que eu não quis acreditar - devia haver ali um engano, só podia. Três rapazes planeadíssimos, e planeadíssimos pelo menos os dois últimos para ver se vinham sem pilinha. Uma última gravidez não planeada. Uma estória como outras que conheço. uma sensação de final feliz. E dizem que Deus escreve mesmo certo por linhas tortas. Será? Sabem que muitas mulheres sofrem desilusão de género? Mas que isso nem sequer pode ser falado? Não lhes é permitido fazer o luto porque é sacrilégio não se ficar eufórica com o que a natureza lhes oferece. Porque o que se diz logo é: o que importa é que venha com saúde (mas olhando para elas com alguma piedade por só terem rapazes - curiosamente acontece mais quando é com rapazes). Adoro os meus rapazes, tanto, tanto, tanto. E acho muito cool ser mãe de rapazes. E não os trocava por nada. Mas que bom que foi poder ser mãe de rapazes e raparigas. 
Esse sim era o meu sonho.


 

E esta foi a música que lhe dediquei, mal soube.

16 comentários:

Lilian disse...

Como eu te compreendo, mulher! Eu assumo que fiquei desiludida por o segundo não ser menina, e eufórica quando soube que o terceiro era!

Mãe das Marias disse...

Coisa linda! Estava nas estrelas que ainda ias receber mais este presente de Deus, para "fechar" a fábrica com chave de ouro!

beijinhos*

Tella disse...

lindo post

Y. disse...

Eu sonhei 9 meses com um menino mesmo depois de já saber que era uma menina, tinha aquela ideia que até ver tudo podia acontecer... quando a vi no primeiro segundo esqueci-me de tudo mas às vezes olho para ela quase sem cabelo e por segundos imagino o meu menino... vou ter mesmo de tentar a ver se me sai na rifa. Mas não a trocava por absolutamente nada.

TERRA DE CORES disse...

gostei tanto de ler este post... :)
bjs

Lit@ disse...

Também foi muita emoção quando soube que iria ter uma menina :) chorei bastante de alegria!
Também tenho 2 rapazes já com 21 anos lol (é o que faz ser mãe muito cedo...)
Beijinhos e adorei o teu post
Beijinhos com carinho meus e da L.

eucomplicotucomplicasnoscomplicamos disse...

Eu sempre disse que gostava de ter meninas...tenho alturas que acho que as pessoas tem medo de dizer aquilo que gostavam...não vejo mal nenhum, se tivesse tido um menino ia ficar feliz...mas não significa que não tivesse o gosto e a vontade de ter uma menina...adorei o seu post...:)

macaca grava-por-cima disse...

sim... essa necessidade de rotular tudo e por tudo em categorias bem definidas e esteriotipadas. eu tenho o meu menino com 2 anos e toda a gente me diz "agora tens que fazer a menina" e eu respondo sempre. Ou o segundo menino, antes do terceiro igualmente menino... Sempre me vi mãe de 3 rapazes, não me perguntes porquê... mas tb sei que preciso de flexibilizar pq as probabilidades de ter meninas são de 50% :-) é claro que o mais importante é que sejam saudáveis, mas que mal tem idealizarmos algo e querermos que assim se concretize... se é válido para tanta coisa porque não para o termos filhos... ;-)

Mar disse...

Eu sinto o contrário. Explico: sinto que é suposto desejarmos meninas.

Tenho 3 meninos e uma menina. Ela é a segunda. Os dois meninos mais novos são gémeos e passámos a gravidez inteira a ouvir lamentos de perfeitos desconhecidos, pelo facto de irmos ficar com uma casa cheia de rapazes. Eu estou um bocado farta de ohhhhhhs desapontados, dos "sinto muito" a que não sei o que responder com um mínimo de boa educação. Da pergunta: não fica triste por não ter mais meninas?

Nunca desejei um sexo ou o outro. Nunca. No primeiro filho, tive uma intuição fortíssima, muito cedo, de que era um rapaz (e era). Nos outros, só senti gratidão por nos chegarem aos braços e serem saudáveis.

Percebo perfeitamente que se tenha um desejo de experimentar a maternidade nos dois géneros. Mas não percebo o que me parece ser uma espécie de fixação generalizada nas meninas, porque se podem vestir de laços e rendas e porque são, supostamente, mais sossegadinhas. É esquisito.

4D disse...

Mar: no meu caso nunca vi isso como uma fixação. mas acho que tenho direito a ter os meus sonhos, até em relação ao género. e a psicologia no meu caso explica: tenho mais duas irmãs, ou seja, éramos 3 raparigas e sempre vivi numa casa de mulheres, com uma mãe muito presente e uma avó que era tudo para mim. Ou seja, o género feminino sempre foi a fonte dos meus afectos. E por isso queria uma filha. Não por causa dos laços ou por ser mais sossegadinha:)

Eu acho que se há quem tenha todo o direito de preferir rapazes, há quem tenha todo o direito de preferir raparigas e há quem tenha todo o direito de não ter preferências. Para mim cada um tem os mesmos direitos.

parabéns pela família de 4:)

susana barros disse...

O mesmo para mim!Tão feliz por serem rapazes e rapariga!

Mar disse...

Expliquei-me mal ;)

O meu problema não é que uma mãe prefira, por um milhão de razões ter um filho XX ou XY. Se eu tivesse podido escolher, um dos gémeos teria sido menina, porque a minha filha queria imenso uma irmã e eu gostaria de lhe ter feito a vontade. :) Eu não fiquei desapontada, mas ela ficou...

O que me aborrece é aquilo que percebo como uma tendência generalizada não só para desejar que os próprios filhos sejam meninas (com isso ninguém tem nada a ver), mas para desejar aos outros que os seus filhos sejam também meninas, como se fossemos menos mães quando temos rapazes. Se calhar, é do meio em que me movo, mas ouço muitos comentários desagradáveis sobre isto.

4D disse...

ahh, ok. Já percebi!
Deixe-me cá pensar no meu caso. No meio onde me movo há muito mais rapazes do que raparigas a nascer, muito, muito mais, mas nunca senti muito a tristeza ou a piedade dos outros por causa disso. Sinto é que quando é mais do que um do mesmo género, então aí as pessoas fazem caras tristes e usam expressões como : já ficava com um par.
A minha mãe teve três meninas e ficou toda contente. Já o meu pai ficou todo triste. Acho que se houver uma tendência e se se puder generalizar as mais querem mais meninas e os pais meninos.


Beijinhos!

Princesa sem Reino disse...

Que bonto Sofia! Gostei!

Andreia disse...

Sofia,
Este post podia ter sido escrito por mim, (se tivesse o teu jeito para a escrita). Estou grávida, uma gravidez não planeada e no inicio pouco desejada, de uma menina depois de 2 rapazes, vem aí uma menina que eu tanto sonhei e desejei, mas que já não imaginava que ia ter. Se viesse outro rapaz, era bem vindo também, porque como tu também acho muito coll ser mãe de rapazes e não os trocava por nada deste mundo, mas mentiria se dissesse que fiquei muito, muito feliz por ir ter uma menina, que eu tanto quis. Às vezes até tenho medo de me sentir assim feliz, espero que quando ela nascer também me sinta assim completa como tu :)
Bjs e desculpa o testamento

4D disse...

A sério?? Fiquei em pele da galinha!! manda-me mensagem para a página 4D no facebook para falarmos um bocadinho.

beijos e obrigada pelo testamento!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...