Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 24 de abril de 2017

As Ritas da minha filha e o presente da Páscoa



A vida da minha filha está cheia de Ritas: Rita, a tia, irmã da mãe; Rita, a tia do tio preferido, Rita, a boneca em que se enrosca todas as noites e Rita, uma uma fada-madrinha, uma amiga da mãe, do tempo das feirinhas, do 4D&Friends, amiga do primeiro ao último dia, que se espera longínquo.

As Ritas são especiais. A Rita, a minha irmã com 13 meses de diferença de mim foi a minha companheira de lutas e brincadeiras, de protecções e ciúmes.A minha vida teria sido muito diferente sem ela.

A Rita da Galinha Doida foi das poucas pessoas que veio falar comigo depois da separação. Sei que muitas não o fizeram por mal. Muitas vezes não se sabe o que se dizer, mas por vezes basta uma mensagem com um coração. E depois, convenhamos, a Sofia já não organizava eventos, a Sofia já não era a mesma, a relação com a Sofia tinha mais ou menos terminado quando o que levou essa relação a funcionar tinha deixado de fazer sentido.


Ritas, da minha vida, Ritas da vida da Concha, cada uma com as suas dificuldades, com as suas crises, com os seus momentos felizes, como todos nós. Desejo-vos o melhor.

Se tudo o que vos desejo se concretizasse, a vossa vida seria ainda mais luminosa.

Rita, sei que não estás à espera. Disseste-me que sabias que a Concha agora estava mais rocknroll, mas que fazias questão de lhe enviar a roupa para a Páscoa.

Eu fiquei de lágrimas nos olhos. Por tudo. Porque quando muita coisa me corre mal, tendo a não ver o que corre bem, os pequenos grandes nadas que são sinais. De Deus ou do destino. Sinais que tendemos a não olhar. Mas que estão lá. Estão sempre lá. Basta prestarmos atenção.











Conjunto: Galinha Doida

sexta-feira, 21 de abril de 2017

A Bailarina

Fomos convidados para a antestreia do filme Bailarina, que ia contar com a presença da Mia Rose e do Miguel Cristovinho (D.A.M.A) que iriam dar música aos presentes - 350 convidados, entre eles imensas crianças.
Um filme animado onde a protagonista quer lutar pelo sonho de ser bailarina, e o convite vir dentro de uma caixa de música linda, foram motivos de peso para apontar na agenda o dia 9 de Abril.
O Vicente disse que logo que se ia ser sobre ballet ele não queria ir. Respeitei, mas que tonto que foi. O filme foi muito mais do que um filme sobre ballet. Foi um filme sobre bons e maus, sobre a amizade e o amor, sobre a perseverança, a sorte e a luta pelo que acreditamos. No fundo isso são os ingredientes essenciais pelos quais o mundo gira.

No convite dizia que o dress code era o Ballet.

A Concha divertiu-se imenso e foi engraçadíssimo estar ao lado de outras estrelas como o Cifrão, A Bárbara Norton de Matos, a Paula Lobo Antunes, super simpática e divertida...


Obrigada NOS Audiovisuais. Adorámos!

https://www.facebook.com/bailarinaofilme



Dia 27 de Abril, não percam!
















terça-feira, 18 de abril de 2017

The Color Run – os 5KM mais divertidos do mundo e um giveaway



Confesso que nunca fui ao The Color Run. Por uma razão ou por outra fui acabando por não ir, embora os meus filhos já me tivessem falado nisso. Insistentemente.

Esta ano fui convidada pela Organização para ser a blogger presente e conversa puxa conversa, a vontade foi crescendo e crescendo, até se tornar gigante.

Mais ou menos faz algum sentido…eu sempre comparei The Color Run com Marrocos e com aquelas cores e agora nem preciso viajar para as ter aqui tão perto.

Das fotos que fui vendo, dos testemunhos que fui ouvindo, acho que nem eu me tinha apercebido ainda que me podia divertir tanto em família. O mais engraçado é que, muito mais do que uma corrida, este evento é uma festa. De todos para todos. Para qualquer idade. Tenho a certeza de que os meus mais pequenos vão-se divertir tanto como os mais velhos, ou quanto rapazes e raparigas de 22, 24, 26 anos… Todos terão uma perspetiva única e memórias únicas do evento e isso é realmente extraordinário.

Nós pais (a bem da verdade, mais as mães do que os pais, genericamente) passamos a vida a dizer aos nossos filhos que não se podem sujar e de repente oferecemos-lhes umas horas em que vale tudo. Quanto mais pintalgados melhor!

E os adultos? Ver os mais velhos de braços abertos para receber a tinta é sentir que naquele momento podemos e devemos ser todos crianças outra vez.

Sabiam que a ideia do bilhete de família é nossa? Nasce cá em Portugal? Acreditem que isso me deixa super orgulhosa. Porque se quer mesmo apostar na festa da família e na ideia de que ali somos todos de todas as cores.

Este ano, cá em Portugal, vai mesmo só ocorrer este evento dia 30 de Abril, em Coimbra. Não percam! Houve de facto uma mudança grande este ano. Nova equipa, nova dinâmica, nova forma de viver esta festa das cores.



Por falar em cores, alguns pais preocupados perguntam sobre os pós e possíveis alergias. Fiquem descansados que é apenas amido de milho com um pouco de corante alimentar. Aconselha-se o uso de pulseiras com o número de telefone para os mais pequenos, pois mais vale prevenir e ainda água e óculos de sol.

The Color Run tem uma parceria com a CP. Não há desculpas para não participar. Coimbra é linda, é um saltinho chegar até cá e está tão perto do Dia da Mãe que saem todos a ganhar. Muitas vezes falta-nos imaginação para sabermos o que fazer em família. Ora aqui fica uma óptima sugestão!



Giveaway:


Tal como estava prometido, temos 2 bilhetes familiares para oferecer.

As regras de participação são simples:

- Partilhe este post no Facebook em partilha pública

- Deixe no post o nome de 3 amigos para que saibam da notícia (não esquecer que os nomes têm de aparecer a azul)

- Fazer like no 4D no Facebook e tornar-se seguidora do blog 4D

- Deixa a tua frase no e-mail avidaa3d@gmail.com. A frase será sobre o que mudou na tua vida desde que foste pai/mãe/tio/padrinho/avó (porque queremos que todos possam participar). Só tens de usar a palavra "cor". Podes escrever com mais piada, com mais emoção…Só tens que ser tu próprio e usar a imaginação. As 2 frases que mais nos impressionarem serão as vencedoras.



Importante: Podes participar no máximo com 3 frases. Por cada frase tens que fazer nova partilha pública e chamar 3 amigos diferentes.



O passatempo começa hoje, dia 18 de Abril e termina dia 24, às 11.59.





Boa sorte e muita, muita cor!












quinta-feira, 13 de abril de 2017

Porto, que te quero tanto



















Eu sou de um tempo esquisito. Ou então não, éramos só nós que éramos estranhos.

Na minha escola as duas turmas cortaram-se à viagem de finalistas de 12º ano. Qual Lloret de Mar, qual quê? Os pais não deixavam e os filhos obedeciam. E até os filhos não tinham muita vontade de fazer disparates atrás de disparates.

Um grupo de irreverentes, mais precisamente 6, resolveu que não ia saltar este marco tão importante. Nós que não temos quase nenhuns rituais de passagem, este era tão significativo ao ponto de não o podermos perder.

Não fomos para Espanha. 6 gatos pingados... Fomos para o Porto e o meu amor por esta cidade nasceu nessa altura e nunca mais esmoreceu.

Fui lá muitas vezes depois, mas não sei se voltei a admirar a beleza daquela cidade como naqueles dias de finalista - não vou dizer que não bebi, mas havia muito mais a fazer do que isso. A liberdade não era beber até entrar em coma e fazer desacatos nos hotéis. Liberdade era sentirmo-nos livres, especiais, tendo acabado um ciclo e não sabendo muito bem o que o futuro nos reservava. Naquela altura sentíamos que tudo era possível e isso incluía acordar cedo, andar imenso a pé, ver tudo e ainda aproveitar a vida nocturna. Não incluía queimar colchões ou deitar coisas pela janela do quarto ou sermos expulsos. Eu que vestia de preto, cheguei a pensar se teria uma alma betinha ou apenas tinha sido bem educada pelos pais que me tinham calhado na rifa. Acredito que o facto de sermos poucos ajudou a que uns não puxassem os outros para caminhos mais desviantes.




Mas como eu estava a dizer, a paixão pelo Porto ficou. Um lugar que se instalou cá dentro, bem perto do coração e que ficou para sempre. Muitas vezes voltei ao Porto. Para concertos, conferências, workshops, tardes de compras...mas nunca mais foi como daquela primeira vez.




Até agora. Muitos anos se passaram. Novamente houve um mote para a viagem, o concerto dos Motorama no Hard Club, mas prometi a mim mesma que desta vez era diferente. Ia de fim de semana, e ia olhar para tudo com olhos de turista - aqueles olhos que nos fazem admirar seja o que for que encontremos lá fora, mas que não liguemos nenhuma ao que é nosso, tão nosso.




As dicas da Bri e as dicas das minhas seguidoras do 4D foram cruciais. Agradeço-vos imenso por isso.




As dicas eram:




- Visitar a loja Almada 13 e comer uma pavlova na Miss Pavlova. Beber um chá no Majestic

- Andar pela baixa do Porto e pela Zona Ribeirinha

 - Rua das Flores

- Mercado do Bom Sucesso e Hotel da Música

- Casa da Música

- Livraria Lello (pagámos 4 euros de entrada, que pode reverter na compra de um livro)

- Serralves

- Torre dos clérigos

- The Yaeteman

- Arco das Verdades

- Igreja do Carmo

- Sé

- Estação de São Bento








Para comer:




Francesinhas no Santiago

Cachorros do Gazela

Prego no Pão no Venham mais Cinco

Bifanas do Conga

Sandes de pernil da Casa Guedes

Buraquinho




Para adoçar a boca - Leitaria da Quinta do Paço.




Sei que em relação às francesinhas as sugestões foram imensas. Peço-vos que as deixem novamente no post, mas aqui no blog, porque aqui ficam para sempre guardadas e é fácil fácil acedermos novamente a elas. Quem diz em relação a francesinhas diz em relação ao que quiserem.

Quero mais lugares para descobrir, para ter uma boa desculpa para voltar ao Porto. Breve, breve.






sexta-feira, 7 de abril de 2017

Cuida de ti, a doença celíaca, o Bio Activo e um Giveaway



Sabe-se agora que há relação entre a carência de Selénio e as doenças celíacas. A carência de Selénio pode aumentar as hipóteses de nos tornarmos intolerantes ao glúten.

Li tudo e acho que já vos posso falar um bocadinho sobre isto com mais conhecimento do que até aqui, embora não seja de todo uma expert na matéria.

Todos nós precisamos de Selénio e muito. Ele reforça mais de 30 proteínas seleniodependentes, de que todas as células precisam. O Selénio também reforça um grande número de antioxidantes únicos e muito potentes que protegem as células e os tecidos contra certas moléculas agressivas, os chamados radicais livres. A falta de selénio vai afectar, sem qualquer dúvida, a tiroide, uma glândula altamente dependente deste mineral. Cerca de um terço do Selénio do nosso corpo encontra-se na tiroide, onde regula as hormonas necessárias para o metabolismo e actividades oxidantes.



A questão é que é difícil termos uma alimentação equilibrada quando há um défice de selénio nos solos portugueses. Isso foi estudado e comprovado Ora pois que havendo falta, os produtos agrícolas produzidos nesses solos também vão ter a mesma carência.



Ingerimos metade do que necessitamos. Isso é mesmo muito pouco!

A minha filha toma estimulantes para abrir o apetite. Há quem entenda os suplementos alimentares e há quem não…mas não deve ter havido muitas grávidas a não tomarem suplementos durante a gravidez. E aí fazia sentido, “pelo bebé”! Mas seja pelos nossos filhos ou por nós próprias, que temos de estar cá para os ver crescer, há que perceber que, de facto, o nosso corpo a determinadas alturas da vida, por isto ou por aquilo, sofre carências que precisam ser compensadas.



A Pharmanord vem realçar esta importância de colmatar carências, de cuidarmos de nós e de quem nos é querido. O produto Bio Activo Selénio + Zinco não é novo, mas surgiram agora novos estudos e realçar a utilização deste suplemento. E por isso vale a pena trazer este assunto à luz do dia.



Bio Activo selénio+Zinco – para além da parte do Selénio, este suplemento traz vários outros benefícios à nossa saúde. Por exemplo, protege e defende o nosso sistema imunitário. Por exemplo, mantem o nosso cabelo e unhas bastante saudáveis. Se calhar até pode ser por aqui que passa a solução para cabelos frágeis e quebradiços ou mesmo para a queda de cabelo?!?





Vou-vos deixar os links para informação extra ou complementar.

https://www.pharmanord.pt/intolerante-gluten

https://www.pharmanord.pt/produtos/details/bio-selenio-zinco



Sou desde há 3 anos, salvo erro, tester dos produtos Pharmanord e até agora tenho tido resultados fantásticos. Gosto muito de falar do que acredito.



Então vamos lá ao giveaway!

Temos 3 embalagens para oferecer a quem quiser experimentar.

As regras são simples:


- Ser seguidora da página 4D no faceboo (gostar + seguir) – https://www.facebook.com/avidaa4d

- Gostar da página da Pharma Nord Portugal – https://www.facebook.com/suplementosbioactivo

- Fazer like na publicação deste post que vai estar na página do 4D, no Facebook.

- Partilhar essa publicação em partilha pública no vosso mural (não esquecer de colocar essa partilha em modo público para poder ser validada)

- Comentar a publicação, escrevendo “Quero um Bio Activo Selénio+Zinco” e convidando 3 amigos a participarem (atenção, os nomes dos amigos têm de aparecer a azul, que mostra que vão mesmo receber a notificação).



Importante: podem participar as vezes que quiserem, desde que partilhem de cada vez que participarem e que deixem nos comentários nomes de amigos sempre diferentes.





Começa hoje, dia 7 de Abril, a partir do momento em que seja publicado e termina dia 9 às 23.59h

Os felizes contemplados serão escolhidos através do sistema random e serão avisados durante a próxima semana na página 4D no Facebook.





Beijinhos e abraços!




quarta-feira, 22 de março de 2017

Anda Luzia – Uma semana de risos e descobertas



Quando há um divórcio uma pessoa não devia passar a ser divorciada. Palavra pesada, feia, que traz consigo, ainda, um estigma e um peso difícil de carregar.
Quando há um divórcio uma pessoa devia passar a ser (novamente) solteira. Porque, de facto, é assim que está, que se quer sentir, já que não pode ser viúva de pessoa viva.

Bom…onde é que eu queria mesmo chegar? Ahhh, à semana do Dia dos Namorados. Será que se pode dizer assim? Semana do dia? Aproveitámos o mote e como não podíamos ir ali até Sevilha e voltar no dia 14 de fevereiro, fomos passar uns dias no sul de Espanha, com a desculpa de ser a altura ideal, para celebrarmos o amor que nos une – já disse que tinha um namorado, só resolvi não falar muito sobre ele. Mas falando então da altura escolhida, não podia ter corrido melhor: nem muito frio, nem muito calor, graças a São Pedro, e com o São Valentim a dar uma mãozinha.


Não tenho escrito no blog. Falta de tempo, de paciência, de vontade. Quando tenho uma oportunidade as palavras não fluem e quando dançam na minha cabeça, num fox trot apressado, não consigo passa-las para o papel, ou para o computador, nem sequer para um gravador, vejam bem.

Mas este post tinha de sair. Dedico-os a todos, mas a duas pessoas em particular.

À Ana, minha parceira da Pharmanord e à minha irmã Rita.

Ambas me disseram que seguiram as dicas da minha viagem a Ávila, Segóvia e Toledo e que adoraram. Caramba, como isso me deixou feliz! E já que segunda foi o Dia Internacional da Felicidade, altura excelente para pensar no que é que nos faz feliz, foi para mim o timming ideal para resolver pôr em prática aquilo que sinto. Realmente comunicar, passar mensagens, dar dicas que vão servir para alguém ser mais feliz, deixa-me feliz. Mesmo muito feliz.

Uma das partes mais importantes das minhas viagens, quase tanto como a viagem em si, é a preparação, o planeamento, a procura por sugestões que me ajudem a construir um roteiro ao meu gosto, com os fins que procuro.

Desta vez não houve tempo para isso. A viagem foi marcada muito em cima da hora e tive, por um lado, de abdicar dessa parte que adoro, mas por outro fui obrigada a aprender a viver sem muitos planos, o que é extremamente difícil para mim. Não sou a organização em pessoa, bem longe disso, mas sou um bocadinho control freak – dizem que é do signo. Isto de se ser virgem é uma grande chatice!


De qualquer forma aconselho sempre a planearem o roteiro. No meu caso ter-me-ia poupado algumas horas de viagem. Na altura e sob pressão, acabámos por não decidir bem o trajeto e andámos ali para a frente e para trás, o que era escusado.
Então vou-vos deixar o percurso que hoje teria feito, bastava ter começado a road trip por um lado em vez de ter começado pelo outro.


Em relação aos sítios, não deixaria nenhum de fora. Amei. Tivemos pouca sorte com o Torcal, porque estava nevoeiro cerradíssimo. Mas o que não vi imaginei e também foi uma lição gerir essa frustração – sim, porque fui eu que queria mesmo ver “pedras” e insisti ao máximo e depois naquele dia as condições climatéricas deitaram-me a língua de fora. Mas eu decidi ser feliz e aproveitar ao máximo, mesmo assim.


Queria ainda explicar o título. Foi uma brincadeira, como é fácil de perceber com Andaluzia e Anda Luzia, com um bom sotaque alentejano – eu posso, eu tenho direito a brincar, porque sou alentejana com imenso orgulho! 
Quando começava a panicar por causa das distâncias, da dificuldade de dar com algum sítio ou do anoitecer a chegar, para aliviar a tensão dizia “Anda Luzia, anda lá! Magana da Luzia que não há meio de ela chegar!”





Sítios que não podem perder:



Uns dias em Sevilha. Andar pelas ruas, tapear muiiiiiito e fazer compras. Não tenho culpa de ter apanhado ainda os saldos. Não deu para resistir.

Sevilha é linda, é plana, faz-se tão bem a pé e nas ruelas labirínticas descobrem-se coisas boas. A casa esquina.



Sítios para comer bem:

Bodega dos de Mayo

Papanatas

Coloneales

Casa Ruperto – os turistas não chegam lá sozinhos. As melhores codornizes que já comi. Comidas em pé, no meio de uma rua sem trânsito, lado a lado com pessoas de todas as idades, famílias tradicionais e os hipsters e os motards mais cools do pedaço.

Tapear sushi na rua – La Hermandad del Sushi

Saída noturna para ouvir rock – FunClub - a.m.e.i



Para ficar: O Hostel do nosso querido amigo Bruno, Sevilla Dream. Um espectáculo de pessoa. Depois de um MBA nos States, decidiu largar tudo e recomeçar a vida em Sevilha. Já lá está há 3 anos e pretende ficar. E é um anfitrião de primeira. 





Córdoba, passeio de um dia. Não vimos tudo, pois que não. Mas vimos o principal e deu para ficar com uma ideia da zona histórica e dos principais monumentos. Gostei imenso. Até tem um templo romano ao género do nosso de Évora.

Descobrir cores, os vasinhos típicos pendurados nas paredes e séculos de história para onde quer que se olhe é bom demais.

E nunca me irei esquecer que foi lá que comprei o meu skate. Já que ia oferecer um ao meu filho Vicente, achei que ainda estava em boa altura de aprender uma coisa nova. Tenho para mim que devíamos aprender uma coisa nova todos os dias. Como seria quase impossível, ao menos todas as semanas ou todos os meses. Devia estar na Bucket List de todos nós.



Pontos que vale a pena visitar: 

- A mesquita-catedral de Córdoba

- A Juderia ou Bairro Judeu

- Os pátios de Córdoba

- Puerta del Puente

- Ponte Romana

- Torre de la Malmuerta

- Mercado Victoria

- Templo Romano

- Casa de las Cabezas – Patios de Leyenda





Ronda (no interior de Málaga), a cidade a que chamam The dreamed city. Uma cidade mágica, que vive literalmente à beira do precipício (fica situada num pico rochoso a mais de 800 metros de altitude), sendo a melhor forma de a conhecer andando a pé pelas ruas cheias de reminiscências arábes, fenícias, romanas… As fotos falam por si. Imperdível.

“Procurei por todas as partes a cidade sonhada, e por fim encontrei-a em Ronda”

Poeta Rainer María Rilke



E ainda descobri uma tapa chamada semáforo, que é lombo fumado, com molho de salsa e no meio um ovo de codorniz. Acho que é a primeira vez que gosto de semáforos!

Se pensam manter a linha em Espanha, esqueçam! Mais vale perder peso antes de ir!



Setenil de las Bodegas, lugar especial, encantatório. Para mim, o fenómeno. Imperdível! Quando pensamos que já imaginámos tudo, aparece-nos Setenil, uma aldeia branca, cujas casas estão embutidas nas rochas.



Olvera – não conseguimos fazer toda a rota dos Pueblos Blancos ou Aldeias Brancas, mas ainda passámos por algumas, escolhendo parar em Setenil, Olvera, Antequera e Arcos de la Frontera. 

El Torcal de Antequera – o tal sítio das pedras 😊

El Torcal é das mais importantes reservas naturais da Andaluzia e tem um perfil único. Situada a poucos quilómetros de Antequera, na província de Málaga, esta reserva natural está cheia de formações rochosas fascinantes. Algumas delas são das mais antigas na Europa, o que oferece à paisagem uma atmosfera quase surreal e alienígena.



Antequera, a cidade branca e os Dolmens (Dolmen de Viera e Dolmen de Menga). Para grande espanto meu, este espaço, bastante bem preservado, é de entrada gratuita. 

À saída de Antequera podem visitar-se três dolmens de 5000 anos de idade: O Dolmen Menga (o maior da Europa) e o Dolmen Viera. O Dolmen El Romeral está a poucos km de distância (este já não vi). Estas três câmaras funerárias pré-históricas representam algumas das maiores e mais completas estruturas megalíticas da Europa.

Em 2016, os dólmens, juntamente com duas montanhas intimamente ligadas ao complexo dolmen, foram declarados Património Mundial da UNESCO. 



Arcos de la Frontera. Fiquei apaixonada. Completamente rendida. Não deixem de visitar a Taberna de San Pedro e a Taberna Jovenes Flamencos pelo tinto de verano e pelas fotografias lindas para mais tarde recordar. Sei que me falta conhecer imensos sítios, mas este é, sem dúvida, um dos vilarejos mais bonitos de Espanha. Arcos impressiona ao primeiro olhar. Está localizado no topo de uma montanha, numa posição privilegiada sobre a região que a envolve. Muitas das suas casas ficam na beira de um abismo. Mais um. É de ficar de queixo caído.



Utrera – Confesso que conheci pouco ou quase nada. Meti na cabeça que havia de tirar uma foto ao pé de um dos touros típicos, que só tinha visto por montes e vales. Ficava tão pertinho de Sevilha que não quis perder a oportunidade. Gostei das fotos e o nome da terra foi motivo de gozo a viagem toda, porque cada vez que a queríamos pronunciar saíamo-nos sempre uma Uretra! Valeu por mais uns belos momentos de puro riso.



Road trip para quem quer uma semana como a nossa:



Sevilha – Córdoba – Antequera e Torcal – Ronda – Setenil – Olvera – Arcos de la Frontera – Utrera – Sevilha.





O que ficou para depois:


Granada

Málaga

Gibraltar

Mijas

Cavernas de Nerja

Marbella

Caminito del rey (El Chorro)

Cádis

Puerto de Santa Maria

Jerez

Vejer de la Frontera

Medina Sidonia

Sanlúcar de Barrameda

Frigiliana





























Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...