Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

O último abraço



Devíamos só lembrar das coisas boas, recordar apenas as datas bonitas e felizes. Mas as coisas más marcam-nos tanto tanto, que é impossível esquecer. A memória bem tenta proteger-nos, mas só consegue até certo ponto. Atira-nos com uma amnésia selectiva, que nos faz olhar para trás como um míope a olhar para longe, sem as suas lentes. Mas as coisas continuam lá, deixando uma ferida difícil de sarar.


Hoje o mais novo dos meus rapazes perfaz precisamente a idade que o mais velho tinha quando teve o avc.

E eu olhei para ele de manhã e tive tanta vontade de chorar. Pelo outro filho, pelos sonhos que se desfizeram, pela saudade que por vezes bate tão forte, daqueles seus 3 primeiros anos de vida, quase 4.

Têm sido anos difíceis, os nossos. Mas claro, podia ser pior, muito pior.

E nestes dias ainda fico mais irritada, comigo e com o mundo, por nos preocuparmos e nos irritarmos com merdinhas. Tantas merdinhas.


Quantas vezes desejei, pedi, implorei que o tempo voltasse atrás, ao dia anterior, só ao dia anterior. O que teria feito diferente, como o teria deixado dormir na minha cama, nos meus braços. O último beijo, o último abraço.



12 comentários:

sofia disse...

Sofia....
um abraço cheio de força para ti

Pedagogia do Terror disse...

ó pá! Estou... beijo grande!

photosecompanhia disse...

Arrepiei-me. Força e acredito que são estrelinhas a olhar por nós...ninguém devia partir tão cedo!!!

Mary disse...

A tua história de familia apesar de tudo é linda, não te recrimines, não podias fazer nada e tens um menino lindo, aliás 4 meninos lindos.
As vezes exigimos demais de nós.
Mas vou tentar lembrar-me tuas palavras quando o meu me tira do sério, realmente temos de cada vez mais, dar menos importância ao que não é realmente importante.Bj

Anónimo disse...

Dói tanto perder um filho. É indescritível, eu sei-o.
Muita força para si. :)

4D disse...

Muito, muito obrigada a todas. Só agora me apercebi que muitas de vocês que agora me lêem ainda não conhecem a minha estória. E assim entendo que possam ter achado outra coisa. O meu filho não morreu. Por isso eu escrevi que podia ter sido muito pior. Ficou com graves sequelas físicas, que ao longo destes últimos 9 anos têm sido trabalhadas. O braço esquerdo "não tem conserto" e foi difícil aceitar esse facto. Por isso o abraço do antes, com os dois braços apertados à volta do meu pescoço, me tragam tantas saudades. A perna está a melhorar, com as injecções de botulínica e com a tala que agora tem de usar sempre. Ainda se anda a estudar a questão de operar ou não operar. Não há certezas se não poderá antes piorar. E muito mais havia a escrever. Mas não me apetece. Não me faz bem. Só não quero que, algumas de vós, pensem que ele morreu. Não, de facto não sei o que é a dor de perder um filho. E sim, não há dor maior.

Um grande beijo

Isa disse...

Ai, que aperto no coração... Não consigo imaginar-me a passar por tal. Mas pensa que o tens ao teu lado, e que o ajudas a ser um menino feliz com as limitações que tem.. Um abraço apertadinho de solidariedade de mãe. Beijinhos

Oliveira Gisela disse...


lamento...não sei mais que dizer lhe! não se torture, porque como mãe acredito que terá dado o seu melhor, com os defeitos de qualquer ser humano, que uma mãe também tem.
quando somos crianças,as mães são como sereias, seres maravilhosos, inspiradores e aromáticos, nunca lhes adivinhamos tristezas ou depressões...é assim que ele sonha consigo!!!

Marta A M disse...

Um grande beijinho para ti Sofia..,
)sem palavras..)
Bj marta

mãeee disse...

Sofia, e com este texto, estas memórias e partilhas me partiste o saco lacrimal que teimosamente se tem mantido fechado ali, bem no canto do olho... Um beijo. um abraço. um olhar terno. toda a compreensão. e força. soubeste, souberam passar por essa manhã e esses dias como poucos e lutam todos os dias na construção de um menino feliz e integrado. Porque o A. tem um sorriso e um olhar doce de quem se sabe e sente muito amado.

Beijo doce
S.

Anónimo disse...

Mas não pode partilhar connosco um pouco da história do seu filho? Não fazia ideia de que uma criança podia ter um AVC... Quais os sinais de alerta? Como se apercebeu? Força!

4D disse...

http://avidaa4d.blogspot.pt/2012/03/e-porque-um-colegio.html

http://avidaa4d.blogspot.pt/2012/11/avc-em-bebes-e-criancas.html

Este são os links do que já escrevi sobre isto.

Obrigada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...