Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Esta é daquelas que está dentro das coisas que gostaria de ter sido eu a dizer


Definição de filhos por José Saramago:



Filho é um ser que nos emprestaram para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter coragem. Isto mesmo! Ser pai ou mãe é o maior acto de coragem que alguém pode ter, porque é se expor a todo tipo de dor, principalmente da incerteza de estar agindo correctamente e do medo de perder algo tão amado. Perder? Como? Não é nosso, recordam-se? Foi apenas um empréstimo.

..

Ter filhos é viver na alegria mas é muito mais viver no medo, com medo, de coração nas mãos, muitas vezes inteiro mas muitas mais aos pedacinhos.
Ter filhos é desejar voltar a ser pequenina muitas vezes; é sentirmo-nos a crescer à pressa. Muita à pressa. Vezes demais.
Ter filhos é querer dar o melhor exemplo possível mas saber que não se sabe qual é o melhor exemplo possível. Muitas vezes.
Ter filhos é querer deixá-los ser crianças durante o máximo de tempo possível mas é obrigá-los a crescer. Rapidamente, se possível. Porque também é preciso.
Ter filhos é sentir orgulho e é também sentir a desilusão. É aprender a lidar com o luto permanente pelo filho imaginado. Tão pouco real. Muitas vezes.
Ter filhos é bom e é mau. E é tão bom e mete medo. E é tão bom e cansa tanto. E é tão bom.


Ter 4 filhos? Loucura ou coragem? Ainda estou para descobrir. Um pouco de ambas, provavelmente.
Ter 4 filhos. Sentir na pele. Tudo. A quadriplicar.

6 comentários:

Marta disse...

Ter filhos é coragem, sem dúvida.
Parabéns pelas palavras, pelos sentimentos.
Beijos para ti e para os teus 4 tesouros.

Duchess disse...

Muito obrigada a ti pelo elogio.
E beijos para ti e para as duas pedras-preciosas que tens na tua vida.

**SOFIA** disse...

o mais incrível, e há dias reflectia sobre isso, é que mesmo sabendo e sentindo na pele os probelmas e dificuldades, como é que nós, mães e pais, ainda temos o impulso para gerarmos mais filhos!!
sabendo nós que isto é um sofrer que nunca mais acaba, como é que ainda embarcamos novamente nesta aventura?
só tenho uma filha, é certo, mas tenho uma certeza de que gostaria de ter mais.
ultrapassa-me.

Duchess disse...

estou cá para mim, que não percebo nada disso, que há causas psicológicas profundas, que explicam esse interesse, essa vontade. E provavelmente também culturais.
por isso eu falo em loucura. Como é que mesmo sabendo de tudo isto de quer continuar a ter filhos, a gerar mais do que um.
Sei que se fala muito daquela ideia de nos perpetuarmos. Será por aí? Sempre pensei que não... mas no fundo, no fundo. São as obras que eu criei. As verdadeiras obras que criamos.

Marta disse...

São fenómenos, não paranormais mas da natureza.
É como aquela coisa das dores de parto. Depois de ter a Nini, pensei: epá não pensei que custasse tanto, como se pode ter coragem de ter mais?! Passada uma semana ainda me lembrava desse sentimento mas já não o sentia.
A dor que resulta de ter filhos deve ser toda assim, doí muito, custa muito, mas esquece-se ou então é a alegria que eles nos dão que a apaga.

Duchess disse...

Eu acho que há paranormalidade nisso:):)

Sim, é amnésia selectiva. Esquecemo-nos rapidamente do que se passou de menos bom.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...