Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 20 de março de 2012

Sempre tive estórias engraçadas com empregadas. Outras também mais dramáticas. Mas sempre tive estórias para contar.
Começando do princípio, sempre tivemos empregada na casa dos meus pais. E depois casei e fiquei sozinha. E veio o primeiro filho e estava sozinha. E veio o mestrado e estava sozinha. E veio o segundo filho e estava sozinha e veio o doutoramento e estava sozinha. Até que percebi que trabalhar muitas horas em casa para o doutoramento não estava a ser nada produtivo, porque havia sempre mil e quinhentas coisas para fazer. E resolvi arranjar alguém.
E as estórias começaram.
A primeira era croata e nova e gira mas gira que se fartava. E passado uma semana de cá estar disse que queria mesmo era ser modelo. Depois a segunda, a R., tinha vindo de Angola havia uma semana. Fazia as camas ao contrário, primeiro os cobertores e por cima deles os lençóis. Disse que não sabia fazer, que dormia no chão. Mas tinha muitas dores de costas e disse que o médico não a deixava trabalhar. Depois veio a C. que teve de sair porque encontrou outra coisa na área mesmo que queria (trabalhar com idosos). Depois a L. que tinha uma relação muito complicada com o marido e que estava constantemente a deprimir. Foi internada algumas vezes e queria ficar em casa para vigiar o marido. Dizia que ele ia ter com outras quando ela saia para trabalhar. Deixou saudades. Depois veio a C. que fazia as coisas bem e que já estava cá há uns meses quando adoeceu de repente. De um dia para o outro descobriu-se que tinha uma coisa má. Mesmo no dia que se sentiu mal não quis deixar de vir, “por causa dos meninos”.
E andei meio perdida, sem saber o que fazer. Até que me falaram na L., que era conhecida, de uma conhecida, de uma conhecida. Meio destrambelhadita mas nada demais. Achava eu. Até ontem.

A minha empregada tinha uma consulta ontem. E eu tinha combinado com ela, atempadamente, que só saía de casa quando eu chegasse. Só que ela esqueceu-se da minha filha e saiu e deixou a bebé sozinha.
Primeiro veio a ideia, quando entrei em casa e chamei por ela e ela não respondeu, que tinha desmaiado. Tola pensei que lhe tinha acontecido alguma coisa e fui à procura dela. Uns segundos depois o meu coração gelou “ai que levou a menina”. Corri que nem louca para o quarto. Lá estava ela a dormir sossegada. Depois veio a incredulidade e depois a raiva.
Telefonei-lhe. Simplesmente tinha-se esquecido dela. Por acaso foi pouco tempo. Por acaso não me aconteceu nada pelo caminho e foi pouco tempo. Mas podia não ser. Por acaso não se mostrou muito afectada. Ainda me disse: “Veja lá que é tão boa ou tão má que eu nem dou por ela” e “Mas vai-me despedir por isto?”

Sempre tive estórias engraçadas com empregadas. Outras mais dramáticas. Mas sempre tive estórias para contar. A de ontem ascende a outro patamar. E eu fiquei sem fala.

37 comentários:

RosaAzul disse...

Oh meu Santo Deus...
:(

Filipa
www.rosaouazul.blogs.sapo.pt

RosaAzul disse...

Oh meu Santo Deus...
:(

Fi disse...

Diz-me q a despediste de imediato pf porque a senhora nao pode ser boa da cabeça com certeza!! Se se esquece de 1 bebé, como é com o resto?? Céus, há com cada uma! Contratei a minha actual por uma empresa de recrutamento de empregadas domesticas e correu mt bem. Nao sei se és de lx, mas foi através da quer marias

Cris ♥ disse...

Eu faria exactamente o mesmo!!!!

Full-time Mom disse...

Que estupidez... Espero que consigas encontrar alguém de jeito. (Pagas bem?! lol) Beijinhos

TERRA DE CORES disse...

E eu também fiquei sem palavras...

Não que tenha tido centenas de empregadas... talvez dezenas...
mas as que tive, só essas estórias dariam p fazer um blog! :) Umas mais normais do que outras, mas nenhuma me deixou sózinha a mim, ao meu irmão ou fez algo tão grave como deixar um bebé de 6 meses sózinho e sair... :'(

bjo com miminho para sossegar o coraçãozinho apertado <3

Mary disse...

Eu quando soube fiquei em choque. É o cúmulo de tudo.
Sinceramente, em podendo, acho que equacionava a hipótese da creche. Sempre são profissionais a tratar dos bebés, e não ficam sozinhas com eles.
A minha irmã tb teve uma má experiência, que nós nem nunca chegamos a saber o que se passou, mas desconfiamos que ela deixava a minha sobrinhacom mais de 1 ano na cama o dia todo, ou algo parecido. Depois disso, optou pela escola, mesmo ficando a perder as ajudas em casa.
Não sei, a mim pareceu-me lógico e sensato...
Good luck!

Duchess disse...

Fi: despedi sim.

Mary: como eu tenho um horário diferente da maioria dava para conciliar. Ela só ficava uma manhã e uma tarde com ela. O resto ficava eu. Então achei que dava para conciliar. Ela só ficou com ela sozinha, no máximo 4 horas. Mas mesmo assim não paro de pensar que talvez a tenha deixado sozinha mais vezes.
E também achei, se ela demora 1 hora para comer e é muito difícil, que estava melhor comigo do que na creche. Claro que agora já não sei de nada. Mas também por aqui não aceitam bebés nesta altura do ano.

Palmier Encoberto disse...

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhh...

Princesa disse...

Abaixo dos mínimos. Para lá do surreal essa personagem. Mas o mais importante é que a C. está bem e não lhe aconteceu nada! Espero que consigas arranjar alguém de confiança rapidamente!
Beijinho

Melancia disse...

A minha alma ficou parva e, imaginei-me logo a querer apertar o pescoço a essa pessoa com cabeça de vento...

Alexa ML disse...

Eu estou assim =X Não consigo conceber como é que alguém deixa um bebé sozinho em casa, ainda mais porque se 'esqueceu'..!
Mas o importante é que a mini está bem! (:
Em casa dos meus pais sempre tivemos a mesma empregada desde que eu tinha menos de 1 ano até há bem pouco tempo. Foi ela que me criou praticamente. Era como se fosse da família, tinha as suas coisas, as suas histórias, fez-nos perder a confiança várias vezes (mas nunca com algo tão grave como isso!). Há coisa de 1 ano e pouco teve uma depressão e depois de muitas baixas pediu a reforma. Ainda hoje quando vou lá à ilha sinto que a casa não é a mesma sem ela.. =/

Rita disse...

Surreal! Completamente surreal!

Mamã Petra disse...

Estou em choque, como é que é possível tanta irresponsabilidade, esqueceu-se???? Até estou atordoada, quanto não vale o meu filho mais velho que ficou algumas vezes com o irmão enquanto eu ia á mercearia aqui da rua cheia de remorsos, porque a sra é um bocadinho lenta a atender.

Onde eu vivo também não aceitam crianças a meio do ano, e tens razão contigo estava melhor.

Claudia disse...

Credo... Graças a deus que eu deixo o meu com a minha mãe. E ela própria também foi empregada e tomou conta de muitas crianças. Mas nunca faria uma coisa dessas... Nestas coisas quanto mais velhas melhor...

Duchess disse...

:)

Cláudia, ela tem 50 anos.

Tânia (Mamã do Santiago) disse...

Eu acho que me passava!

Que me ia a ela!

Como é que se deixa uma criança sozinha, como?

Té F. disse...

OMG!
Deixar uma bebé de 6 meses sozinha em casa é o patamar da negligência.

Ri+John disse...

Olha, nem sei o que dizer. Também perdi a fala. Acho que mais do que competências de uma profissional, o que está aqui em causa são competências a nível humano.
Me-do.

Eu tenho a sorte de poder deixar o pequenino com a minha mãe. Mas, se não pudesse, ia para o infantário. O infantário tem o grande inconveniente de que todos já sabemos - doenças e mais doenças e menos atenção concentrada no bebé. Porque são muitos e é preciso distribuir os "recursos".
Mas, ainda assim, comparando as duas situações (empregada vs, infantário) acho que é mais seguro o infantário. Há sítios muito bons, com profissionais de confiança e são várias... acabam por se supervisionar umas às outras - não há limitador social mais eficaz do que "o que o outro pensa de mim" :P

Como na verdade só precisas que te fiquem com a pequenina uma tarde e uma manhã, porque não contratar uma estudante de educação de infância? Digo isto porque: dá sempre jeito uns "trocos extra", são geralmente apaixonadas por crianças, cheias de vontade de colocar em prática todas as actividades para desenvolvimento das competências motoras e sociais que andam a aprender nas aulas...
Até podias dar, à estudante, como contrapartida de pagamento, o pagamento de um curso de primeiro socorros pediátricos. Tu pagas-lhe o curso, ela fica com isso no CV, tu ficas descansada que ela sabe agir em caso de urgência...

Não sei, se calhar isto nem faz sentido nenhum, estou aqui a lembrar-me e vou escrevendo... Se calhar ainda tenho o cérebro parado com esta estória.

Ana disse...

O que dizer? Não sei. Também eu fiquei sem fala.
Beijinhos

Duchess disse...

Faz sentido sim. Tenho que pensar nisso com mais calma.

Obrigada.
Beijinhos

Ana Rute Oliveira Cavaco disse...

É caso para dizer: ainda bem que não tenho empregada e conto só comigo.

Duchess disse...

infelizmente não posso contar só comigo. Porque embora tenha um bom horário, trabalho fora de casa e tenho horários a cumprir.E como também não posso contar com os meus pais porque estão a 250/270Km e porque também não posso contar com os meus sogros...resta-me a empregada para estes momentos pontuais.

Muxy-Muxy disse...

Como tu também preciso de alguém para ficar com o rapaz. Fiquei com o coração pequenino com esta história. Acho que devias fazer queixa formal da senhora, ela passou da marca da irresponsabilidade. Um beijo enorme e toda a minha admiração.

Mamã Nocas disse...

Ainda bem que a despediste....

Estou sem palavras...Existe pessoas assim??

Duchess disse...

Obrigada a todas.
Eu sou uma pessoa forte. decidida e dura quando é preciso. E claro que a despedi. Não tinha como não o afazer. para além de, como diz o marido, nunca mais conseguires sair de casa descansada, torna-me conivente, responsável por qualquer acto pernicioso no futuro. Há coisas que se desculpam e há coisas que não se podem desculpar. Ponto final.

Só não fiz queixa dela porque sei que não houve intenção maldosa por t´ras. Simplesmente só pode ser QI baixo (e QE, já agora). Acho que ela não teria percebido a gravidade, não tivesse eu dito-lhe poucas mas boas - por acaso até foram muitas. Disse-lhe muitas).

Hoje falaram-me de duas pessoas da máxima confiança. Agora é começar tudo de novo. Esta semana a minha mãe veio para cá. Logo no dia, largou tudo, fez 250Km e veio para cá. Para a semana vou ver como será. Mas só amanhã é que vou começar a telefonar e a fazer entrevistas.

Beijo grande a todas.

Patrícia Teodoro disse...

nem sei o que te diga mas há pessoas que realmente estão a perder os pirolitos, acho que anda tudo doido, sem responsabilidade e ninguém "educa" esta malta...Eu acho que a comia

Duchess disse...

Acredita que eu não fiquei muito bem da cabeça. Liguei-lhe logo e ela, ai que eu agora não posso falar. Duas horas depois manda-me uma mensagem a dizer que as consultas estavam atrasadas. E quando chegou a casa ia despir o casaco para começar a trabalhar. A parte mais estúpida foi quando eu lhe perguntei como é que ela achava que eu tinha estado durante aquele tempo, se achava que tinha estado a curtir e a dançar (acompanhado do devido movimento a exemplificar as minhas palavras).
Eu não estava nada bem da cabeça!

Mary disse...

Na Holanda as creches aceitam crianças em part-time, 2 manhãs por semana por exemplo. Aliás, os bebés começam por ir à escolinha assim em part-time, só aos 3 ou 4 anos ficam todos os dias o dia todo. Não sei porque as nossas creches não abrem essa hipótese. Eu se fosse mãe a tempo inteiro com certeza que adorava deixar a criança 2 manhãs por semana, e na tua situação tb dava jeito, e a tantas outras mães que trabalham por turnos, ou professoras com horário incompleto, eu sei lá. Acho que era bom para todos - mãe, criança e creche (muito afectadas pela crise, como se sabe). Sugeri na creche do meu mais velho, mas a diretora disse q era complicado ter miúdos que vão só esporadicamente, blá blá blá, que desestabilizam os outros etc. Eu não concordo, mas pronto. Ela disse que ia pensar na hipótese de aceitar miúdos só de manhã todas as manhãs, por um preço mais acessível. É uma ideia...

Duchess disse...

Gostei muito da ideia. provavelmente não vai dar em nada mas vou propor na creche do Vicente.

Obrigada

Fi disse...

Eu tenho a Clara em part-time na creche. Posso deixá-la pelas 8h (embora eu deixe sempre às 9h e pouco) e vou buscá-la depois d almoço deles, às 12h30. Têm uma sala própria para part-time q chamam ludoteca. Vi mais 5 ou 6 creches com este sistema, tudo em Lisboa. E já ouvi de mães q têm filhos em part-time em salas d full-time e a creche aceita bem. Às vezes as directoras complicam o q é simples. Tens outra hipótese: uma babysitter de agência mesmo, para n apanhares mais nenhuma maluca. Tens a nanny Portugal q é a + conhecida, mas há outras credenciadas e boas.
Bj gd e espero q resolvas

patrícia disse...

Bolas, bolas...
Que... nem sei!
Como é possível?
Espero que encontres alguém de confiança brevemente.
Beijocas

raquel disse...

Realmente isto é surreal.
Não se entende o que passa na cabeça de alguém para fazer isto. E dizer isto: "Veja lá que é tão boa ou tão má que eu nem dou por ela"
Espero que arranjes uma solução rapidamente e que sossegues esse coração que nem imagino como estava apertado.
Beijo em ti e na pequenina C.*

Só sedas disse...

Credo Duchess, isso mais parece um filme de terror. "Mas vai-me despedir por isso?" "Não... que isso é coisa pouca. Só se partir alguma peça Vista Alegre é que eu me chateio a sério!" Realmente...

Duchess disse...

Infelizmente foi bem real. E já cá veio para fazermos contas e falou comigo como se nada se tivesse passado. Enfim...

pode parecer macabro o que vou dizer mas talvez tenha sido o melhor que me aconteceu. Foi uma comportamento horrível que não teve danos de maior (psicologicamente fiquei muito em baixo). mas se não tivesse acontecido isto quem sabe qual seria o próximo erro. Agora ficou sozinha pouco tempo. Na próxima vez poderia ter sido muito mais. preferia que não tivesse acontecido mas se não tivesse acontecido ela ainda estaria cá em casa...

sakura disse...

xiça duchess atè fiquei parva!!comentei com o namorido e ele ficou de boca aberta!!como pode haver pessoas tão irresponsàveis?!meu deus!!eu tenho o afonso numa ama e tenho sempre receio,por um lado confio nela,mas por outro sei là,hà sempre um medo que possa fazer lhe algum mal..a gente là sabe o que elas fazem enquanto não estamos là..
boa sorte com a nova que arranjares!

Mum's the boss disse...

:) sinceramente, ainda bem que a mandaste embora. Não vale a pena... é assim memso, corta-se logo o mal pela raiz! E, ainda assim é preciso usar energia, nervos de aço para o fazer... dá trabalho, possa!
um bjinho!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...