Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Click

Fui buscá-los. Como sozinha fica difícil dar conta dos 4 achei que podia atravessar a rua com o Vicente e o Manel  deixá-los à porta de casa e voltar para ir buscar o Afonso que tinha ficado a tomar conta da Concha. De repente oiço travar e vejo o Vicente no meio da estrada. Tinha escapado ao irmão, soltou-se e desatou a correr. Por acaso o carro ia devagar mas geralmente nem vão. Tive um ataque de nervos tão grande que me fartei de chorar no meio da rua e o Vi só dizia "não chores mãe, desculpa". E todos a darem-me beijinhos e a Concha dizia "mãe? mãe?" - tipo , o que foi que aconteceu aqui? Fiz cara feia para perceberem que foi muito, muito perigoso mas fiquei essencialmente zangada comigo porque facilitei.
Já estou bem, mas há muitos anos que não tinha um choque tão grande.
A ideia de que a vida pode mudar num instante é esmagadora, tira-nos o ar e deixa-nos sem chão.

E depois, mais calma, fiquei a pensar: e se? Como se vive com esta dor cá dentro? como se conseguirá aceitar o nosso erro?

E gostava de dar uma moral a esta estória, para além da óbvia: 2 olhos e 2 mãos são poucas para tomar conta de 8 pernas, 8 braços, 8 olhos, muita energia. 
Não sei se vos faz algum sentido mas fiquei a pensar no tal dador que quando percebeu que ia ser dador, fugiu.
E não consigo perceber como se consegue dormir de noite. Não é só por não salvar uma vida mas por tirar uma vida.

Bolas. Posso dizer um palavrão?

24 comentários:

Olga Moura Alves disse...

até me arrepiei!! :( imagino que isso te fique a "martelar" muito tempo...um beijinho e como dizemos aos pequeninos..." já passou"

disse...

Vou aqui deixar o meu apoio e a minha opiniao,se me permite.eu sou ama,tomo conta de tres crianças(dos nove meses aos dois anos e meio)e tenho dois filhos de tres e cinco anos.todos os dias saio com os cinco,todos os dias atravesso estradas e todos os dias tenho medo que um deles fuja para o meio da estrada,mesmo quando,jà perto de casa,os meus filhos dao a correr pelo passeio fora,ate aqui tenho receio que um deles tropece e caia para a estrada...é complicado sim...
Quando vamos atravessar a rua,geralmente tenho dois no carrinho duplo e os outros devem atravessar junto a mim e ai faço tipo sinaleiro e avanço para o meio da rua,paro,e mando atravessar os miudos...
Depois do choque,é bom chegar a casa e conversar com os miudos,explicar o sucedido e que nao se pode voltar a fazer mas isto de certeza que jà foi feito ai em casa...
Desculpe o "romance" mas pareceu me ser obrigada a mostrar que a percebi porque passo pelo mesmo.Um beijinho!

Niki disse...

Ai bolas imagino o susto, estes bichinhos são umas enguias!!!! Ainda bem que não passou disso mesmo, de um susto!!

Beijinho

Estrelinha Sónia disse...

Que grande susto... Não tem explicação o que deves ter sentido...
Leio o blog mas acho que nunca comentei,mas quando vai que tb falavas do caso do dador que fugiu senti-me na obrigação de te dizer o que acabei de ler na pagina do facebook do instituto de sangue que essa historia é mentira, queria deixar aqui o link desse post mas não consigo, visto que estou no tablet.
Bjs

rita disse...

Que susto... imagino o susto, mas pense que não passou de um susto...
Lembre-se do ditado: "ao bébe e ao borracho põe Deus a mão por baixo"...
Mães, somos sempre assim.. fazemos o possivel e o impossivel e ainda assim quando algo acontece sentimo-nos as piores pessoas do mundo, as mais irresponsaveis... mas não é verdade... fez o que lhe pareceu bem, e não passou de um susto!
Bjs
:-)

Beta disse...

Bolas, Sofia, que susto... Mas, já passou. E, facilitar em alguma coisa, quem o não faz que atire a 1ª pedra... Beijinhos

TERRA DE CORES disse...

Que susto enorme! :(

Eu passo o tempo atrás do F, com medo da estrada... nem imagino o q sentiste.
Não penses mais nisso, tinhas lá em cima uma estrelinha e não tinha que ter acontecido nada... <3

Nunca será possível recuperar de uma dor dessas, tal como nunca será possível uma mãe recuperar de ter deixado cair um filho, ao tirar uma foto (num local não mto apropriado) e ele se ter afogado por ter caído num rio. Dp dela se ter atirado atrás dele e ainda o ter conseguido agarrar, mas nem assim o ter salvo... conheço mto de perto esta situação e por mais que tente nunca vou conseguir imaginar como se poderá viver assim! :(

Bjs e um abracinho forte

4D disse...

Ai F. que vontade de chorar agora.

Janeca disse...

Um aperto no coração...Felizmente (ou por vezes infelizmente) a nossa vida é feita de pequenos momentos, maioritariamente pautados pela sorte e felicidade. Penso muitas vezes nisto. Na praia distraímo-nos por breves momentos, e perdemos o Lourenço de vista (3 anos ainda por fazer). Olhei o mar e, durante segundos (longos, longos) perdi-me entre o desespero de não saber dele e a esperança de que ele não se teria aventurado (só Deus sabe como ele é...e como não seria de estranhar que o fizesse). O pai olhou bem para o fundo da praia, e no meio do areal, entre as poucas pessoas, lá o viu a correr, já bem longe de nós (eu nunca o teria visto!). Penso sempre nisto, e no que poderia ter acontecido. Já me saiu, uma outra vez, disparado de um restaurante...para o meio da estrada (e foi o tempo de eu conseguir "saltar" detrás da mesa onde estava "encravada"...fracções de segundo). Sentimos culpa, sim. Mas a vida é feita destas coisas, e só temos mesmo que agradecer a sorte que vamos tendo! Não julgo ninguém por acidentes...porque são acidentes! (O que não me impede de me auto-culpabilizar...) bjt P.S.: se 4 braços e 4 pernas são o caos...não imagino o dobro!:) Sois deveras corajosos!

TERRA DE CORES disse...

Não era p te deixar pior...
mas sim p pensar q há sp quem passe por coisas piores.
Pensar nisso talvez não alivie, mas é mm verdade, parece uma história trágica de livro. E foi há pouco tempo.

Bjs e dorme bem.

Angel♥Luzinha disse...

CREDO!!!! por momentos gelei... eu com uma sabe Deus! nem imagino o que será com 4... estão sempre a inventar e não se pode mesmo facilitar... a minha bem se queixa que quase lhe esmago as mãos de tanto a agarrar mas mesmo assim é uma desvairada... só de trela é que andava bem... antes esmagar-lhe as mãos que viver o resto da vida esmagada pela culpa. Bolas, felizmente tudo acabou bem.

beijinho grande Sofia... e agora respira fundo e tenta relaxar, não te culpes... esta malta dá com uma pessoa em doida!

Lina disse...

Não te conheço e até me apeteceu abraçar-te. Que susto! Aiada bem que nada aconteceu. Muitos beijinhos.

Menta Carmim disse...

Imagino o susto!
No resto é melhor nem tentar imaginar, pois acho que só vivendo a situação (que espero que nunca venhamos a sentir) é que saberíamos como reagir.

Beijinhos e não pense mais no assunto, tente apenas arranjar mais dois braços para segurar bem esses meninos lindos ;)!

Bi disse...

Ai Sofia, eu não quero imaginar! Nunca! Ainda na 2ªf escrevi sobre um episódio que me aconteceu no Domingo em que, por segundos, achei que a minha vida tinha acabado. É uma dor que nunca nos sai do peito.

Na minha família tenho um caso idêntico ao que te aconteceu, mas acabou na forma mais trágica. Tenho a certeza que a minha tia não recuperou, nem nunca vai recuperar, embora já tenham passado uns anos. Embora a culpa tenha sido "apenas" do condutor de um autocarro que, em cima de uma passadeira, resolve arrancar e dar o troco a um passageiro, desviando os olhos da estrada por 2 segundos. Vivo traumatizada com esta história.
Mas sabes, por outro lado acho que estes sustos ajudam-nos a estar cada vez mais atentas e a facilitar cada vez menos.

Um grande beijinho*
Bi

sofia disse...

Credo Sofia, que susto!
A Inês fez-me uma dessas teria talvez os 2 anitos e meio
Viu-me tão zangada, tão assustada, furiosa, tão tudo - como imagino que tenhas ficado
Que depois acabamos a conversar, ali mesmo, no meio da rua
Agora posso sair com ela que basta dizer-lhe: segura-me no bolso, que ela o faz e vamos tranquilas
Beijinhos querida. Vais ver que eles perceberam

vidasdanossavida disse...

É um susto de morte. E foi por causa de uma vez que o meu filho me fugiu da mão que eu estive quase para Be comprar uma trela. E só não comprei porque ele percebeu que não podia fugir ou iria acabar de trela. Tenho pavor das estradas e basta uma fracção de segundos. O importante e que tudo está bem. Bjs e espero que já estejas recuperada do susto.

Sofia e Beatriz disse...

Já "morri" durante alguns segundos, numa loja de shopping! Evaporou-se da minha vista, assim do nada. Estava escondida bebaixo de um expositor. :/

Que episodios como estes, não passem, apenas, de valentes sustos! Só peço isso!!
Bjos grandes ;)

raquel disse...

Podes, podes, podes!
Ai Sofia nem imagino o susto, a angústia, o medo!
Um beijo enorme cheio de muito carinho*

Simplesmente Ana disse...

Caramba, fiquei com um nó na garganta. Essa idea de nunca saber com o que é que vamos contar no futuro, às vezes, aflige-me. Este post foi um aviso para todos nós, obrigada.

Joana disse...

Coincidencia... tenho um filho chamado Vicente de 7 anos, o Vi para todos nós, que foi atropelado no passado dia 1 de novembro por uma ambulancia do inem. ele atravessou a estrada (não ha passadeiras na nossa rua) e a ambulancia apareceu sabe Deus de onde. O Vi voou 12 metros, a ambulancia para travar embateu num poste de electricidade que caiu a 2 palmos do corpo do Vi. Deus estava lá... apesar de todo o aparato, teve "apenas" um traumatismo e queimaduras do alcatrão, uma estadia no HSFX e agora o dobro do cuidado ao atravessar! são segundos.... eu estava ao pé dele (foi em frente à nossa porta) e o padrasto no outro lado do passeio...

Daniela disse...

Susto muito grande mas um susto! pensa assim!
A frederica era pequenina devia ter uns 2 anos e pouco,estava comigo na farmácia, eu na fila e ela a brincar viu uma senhora sair e foi atras pensava que era eu! eu quando olho e não a vejo desato a gritar por ela... as pernas não me deixavam andar!!!!!!!
Fui para a rua não sabia para onde correr... Grito por ela, volto a gritar...vinha a senhora para tras com ela porque a frederica lhe agarrou a perna e ai viu que não era eu! chorei tanto...abraçei-a como não existisse amanhã!!
beijo enorme em ti

4D disse...

Joana: deve ter sido terrível.

todas as vossas estórias são angustiantes. mas pronto, já passou.

Um grande, grande beijinho em todas!

Sandra disse...

Diz as asneiras todas que quiseres ... nós deixamos!!!!

O susto da Joana foi brutal ...

Beijo grande nas duas.

Sandra Gonçalves

Mamã Petra disse...

Só agora li e sim imagino o susto e o sofrimento. Diz as asneiras que quiseres.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...