Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 5 de janeiro de 2013

Re-educação alimentar, dieta ou como lhe quiserem chamar . O importante é começar!


Sempre fui magra. Aliás, ouço sempre a mesma lenga lenga over ando ver again – eu era cheiinha até aos meus dois anos. Depois quis começar a imitar a mana mais velha, 13 meses mais velha, que era uma magricela de primeira, e comecei a deixar de comer. Sempre me conheci magra e a comer de tudo. Houve uma fase, quando era pequena, que os meus valores das diabetes subiram para valores de pré-diabetes e como tenho diabetes na família, do lado materno e paterno, a mãe habitou-me a recusar todos os doces que me ofereciam. E acho que surtiu efeito até à adolescência. Entretanto os valores estabilizaram e tanta fome de doces passei, que me tornei na pessoa mais gulosa do planeta. Sempre comi mal e até começar a ter filhos comer não era um prazer. Excepto comer doces. Tinha 25 anos quando tive o Afonso e sempre achei que não tinha muito leite porque nunca segui as regras da alimentação. Era muito displicente nesse campo. Engordei os 8kg da praxe e o corpo rapidamente voltou ao lugar. Mas de repente comecei a ter ancas, eu que era esticadinha. E quantos mais filhos tinha mais as ancas alargavam (realmente é melhor parar por aqui). Só ao terceiro é que engordei exageradamente e passei dos tais 8kg da praxe para exactamente o dobro. Sei que toda a gente diz que não há ligação entre o peso da mãe e o peso do bebé mas este filho foi o único que chegou aos 3kg e toda a estrutura óssea e forma do corpo é diferente. Eu costumo dizer que parece um jogador de rugby. E pela primeira vez senti que “alto lá, estes kg a mais vieram para ficar”. E pela primeira vez achei que tinha de ter cuidados alimentares. Isto em Junho/Julho de 2010. Comecei nessa altura uma dieta/re-educação alimentar. Aprendi/exigi de mim beber 2 litros de água por dia – e bolas, como custou. Comprei manteiga magra, leite magro, queijo magro, fiambre de peru, todas integrais e não sei quantas coisas mais. E no dia em que disse “de hoje não passa”, não passou mesmo. Aproveitei as dicas de uma amiga que tinha ido ao Dr Póvoas e sem ir a lado nenhum segui essas dicas. Era preciso muita força de vontade e eu ia ter essa força de vontade, custasse o que custasse. Sim, tinha isso a meu favor – ser uma pessoa telhuda – e também ter um bom metabolismo. Nessa altura meti-me na ginástica que não fazia há mais de 10 anos (até ao fim da adolescência fiz natação, ballet, equitação, dança jazz…e quando fui estudar parei com tudo – dizem que é um erro mas no meu caso não se manifestou). E também institui o dia da asneira. Lembro-me de estar de férias com os meus homens e de esperar ansiosamente por sábado por comprar uma fatia enorme de bolo de mel. E no meio de Setembro tinha perdido todos os kg a mais. Mas continuei e não deixei de ter leite por causa disso. Eu comia bem, só não comia porcarias. Entretanto engravidei da C. e resolvi manter os cuidados com a alimentação, embora abrandasse mais. Comia mais mas também fazia natação e yoga para grávidas. E engordei 7kg e perdi-os pouco tempo depois. E até Setembro de 2012 andei bem, com os meus 55kg habituais. Só que o novo horário, a nova rotina, a pior de sempre diga-se de passagem, deram cabo de mim. Três dias, ou melhor, três noites a trabalhar até tarde, a gastar muita energia, a vir para casa cheia de fome, comer pizzas às 11.30 da noite ou ainda mais tarde, foram aos poucos acrescentando os kg a mais. Para além disso, como vinha sobre-activada das aulas, obviamente que não conseguia dormir. Mas precisava de dormir porque tinha de acordar bem cedo. Então comecei, de vez em quando, a tomar uns comprimidos, coisa que nunca tinha feito, e que na minha perspectiva também me abriram o apetite. Entre Setembro e Dezembro passei dos 55 para os 60. Mas aí não se notava muito. Comecei a sentir o desconforto quando o peso voou para os 63 por altura do Natal. As férias, o descanso e a boa vida, ajuda das manas e da mãe, a comidinha da mãe…deixaram-me mais gordinha e um bocadinho em pânico.

E fui sempre brincando em relação a isto mas sempre sentindo que um dia destes tenho que voltar a ter a força de vontade que tive em Julho de 2010. E no dia 2 de Janeiro essa força voltou. E resolvi fazer uma espécie de detox, ingerindo só líquidos. Nos dois primeiros dias bebi ao acordar um valente copo de sumo de laranja; ao almoço um caldo de aves sem aves – só mesmo o caldo; ao lanche um chá verde e ao jantar um batido que tinha comprado num hipermercado em Espanha (são umas saquetas de chocolate em pó, que misturava com leite magro, e que substitui uma refeição).
No segundo dia fiz o mesmo. Ao terceiro a diferença é que almocei uma salada de frango, sem tempero. Hoje comi uma maçã ao pequeno-almoço, almocei frango estufado com salada (esta já com tempero) e lanchei uma tosta. E como era dia da desgraça…comi um hambúrguer, com cola e batas fritas. Autchhh

Ahhh, nessa primeira dieta de 2010 fiz a dieta do limão, ou seja, bebia um copo de água morna ao levantar, com o sumo de meio limão. Eu abomino coisas ácidas e ainda não sei se desta vez o vou voltar a fazer.

E deixei de beber coca-cola, a minha grande, grande paixão. E só voltei a beber em Setembro de 2012. e passei de 0 coca-colas, para uma por semana, depois uma por dia e de vez em quando já bebia ao almoço e ao jantar. Que vergonha!

Como já vos tinha dito, tenho um metabolismo muito meu amigo e posso dizer-vos que neste momento estou nos 60kg, ou seja, os 3Kg acumulados num ápice também saíram num ápice. Agora faltam-me perder mais 4, para ficar com 56. Para já não vou para a ginástica. Aqueles programas de máquinas, de meia hora a fazer o mesmo, todas as vezes que lá vamos, 2 a 3 vezes por semana, não dá para mim (sim, já experimentei, já cheguei a pagar durante um ano mas ao fim de seis meses já vomitava máquinas e sequências e aquilo tudo)

Para já ginástica não. Também não sei se tenho perfil para ir na rua andar de um lado para o outro. E não, nunca fui daquelas que diziam que perdia o peso só por andar de um lado para o outro atrás dos filhos.

Quando chegar ao peso que quero posso descansar, porque sei que estes kgs todos a mais não vieram dos molhos e dos fritos e de muitos hidratos (embora até nisso acho que exagerei como nunca tinha exagerado), mas dos doces. Portanto, se eu tiver cuidado com os doces não há problema. Sim, eu sou como os alcoólicos. Um copinho de vinho não me chegava. Acho que compensava tudo o que de menos bom me ia acontecendo com os doces – e nem vos digo o que comia por dia.

Portanto, sugar free para já – e porque sou uma sugar addicted em recuperação é que não sei se posso experimentar a tal dieta que vinha na revista Sábado da semana passada – comer dois docinhos antes do pequeno-almoço fazem maravilhas. Será que se eu os comer aguento-me sem comer mais nenhum??


Portanto, tenho 37 anos, 4 filhos, meço 1,67 (embora no antigo bi apareça 1,69 mas isso é porque eu acho que eles contavam mal e com os sapatos calçados ainda por cima), estou com 60Kg e vou trabalhar para os 55, 56. Alguém me acompanha?

Deixo-vos algumas dicas de refeições. Guardei estes papelinhos desde 2010 porque sinto até hoje que foi o que mais me custou. Sim, mais do que fechar a boca, o que me custou mesmo foi preparar refeições só para mim e pensar em coisas diferentes que me desses algum prazer e que trouxesse mais alguma motivação a esta luta.

Almoço 1 – espetada de carne
Almoço 2 – pescada cozida
Almoço 3 – peito de frango grelhado
Almoço 4 – lulas grelhadas
Almoço 5 – salada de frango
Almoço 6 – peixe espada grelhado
Almoço 7 – salada com atum
Almoço 8 – espetada de peixe
Almoço 9 – meia desfeita (bacalhau, grão de bico cozido, cebola, salsa e azeite)
Almoço 10 – bife de vitela grelhado
Almoço 11 – salteado de legumes com camarão (couve flor, courgette, cebola e cenoura, azeite e um bocadinho de pimenta)
Almoço 12 – frango estufado (com salada ou arroz integral)
Almoço 13 – salada com presunto
Almoço 14 – sandes – atum, cenoura ralada, 1 pitada de sal, 1 colher de mostarda, 1 colher de maionese light
Almoço 15 – bacalhau cozido
Almoço 16 – salmão grelhado
Almoço 17- hamburguer de aves grelhado
Almoço 18 – migas de bacalhau com grão e ovo
Almoço 19 – coelho estufado
Almoço 20 – febras estufadas com arroz integral
Almoço 21 – red fixe cozido
Almoço 22 – costeletinhas no forno com legumes
Almoço 23 – caldeirada de peixe só com uma batata e salada
Almoço 24 – Bacalhau no forno
Almoço 25 – omelete light
Almoço 26 – sanduíche de cottage e azeitona
Almoço 27 – posta de atum grelhada com especiarias e legumes
Almoço 28 – peito de peru ao molho de laranja
Almoço 29 – sandes de peito de peru com rabanete e cottage
Almoço 30 – peixe no forno com legumes
Almoço 31 – bife de peru com arroz de passas
Almoço 32 – peito de frango no forno, panado com iogurte natural e bolacha cream-cracker

Batidos – leite magro, manga, bolacha maria e canela
Cereais da marca Pingo Doce.





 E sim, acho que devemos gostar de nós como somos e devemo-nos aceitar como somos. Mas ao mesmo tempo acho que se não estamos a gostar de nós como somos... devemos fazer alguma coisa para mudar. Trabalhar essa transformação é essencial.








16 comentários:

Alexa ML disse...

Gostei muiiito das sugestões! Sempre fui redondinha, e há alguns anos passei por um pequeno distúrbio alimentar (não sei se se pode dizer isto, mas a verdade é que acho que consegui parar com as manias a tempo), só que ainda hoje luto um bocadinho para não voltar ao mesmo.
Faço anos no final de Novembro, por isso normalmente a partir daí tenho o mês da desgraça, e começo sempre Janeiro a assemelhar-me a um pequeno pote. Depois entro nos eixos e sou capaz de viver a fruta e sopa. Não posso é trincar uma bolacha que seja, senão está o caldo entornado! O meu metabolismo é péssimo, e "OMG que ainda agora passei os 20!". Nem quero imaginar como será daqui para a frente..! Mas com calminha lá havemos de chegar.. =P

E concordo, temos de aprender a gostar de nós como somos, mas a verdade é que eu gosto bem mais quando me sinto mais leve!

Borboleta disse...

Também ando nessa fase. Mas está a ser tão difícil! Beijinhos

Dulce disse...

Olá! Estou com 63 Kg e o meu objetivo são os 55Kg. Também sempre fui magra mas ultimamente tenho andado muito desleixada... e o resultado está à vista... sinto-me mal, sabes? Parece q nada me fica bem e quando penso que vou começar há sempre alguma coisa que me faz desistir. Adorei o teu post e a tua sinceridade... mas tenho uma dúvida. Ao jantar é sempre batidos? Vou tentar "alinhar" contigo, é sempre giro fazer uma caminhada a pares! Um grande beijinho, Dulce

Aline r disse...

Adorei esse post (eu que costumo fugir de posts muito longos) e apetece-me começar contigo.
Abolir a coca-cola, comer sopa ao jantar, doces zezo e pão só ao pequeno-almoço.
Vamos ver como me porto. Mas o meu peso está bem pior do que o teu. Oxalá chegasse aos 60. Menos do que isso não.
Vamos a isso?

4D disse...

Bom dia a todas!
Obrigada antes de mais.

Dulce: eu acho que não, até porque os comprei em Espanha e não os posso ir lá buscar:) Depois passa a sopa ou taça de leite magro com cereais.

Aline: a coca-cola é o meu maior vício:(

Beijinhos e vamos nessa!

Full-time Mom disse...

Estou também com 60kg e sensivelmente a mesma altura que tu, mas não te acompanho na dieta porque adoro como estou e fiz ontem um bolo-rei-de chocolate!!! :P Em agosto de 2011 também fiz uma reeducação alimentar, aconselhada por uma amiga, se quiseres uma dicas manda mail, adianto-te apenas que não tive de deixar de comer nada do que gosto. ;) Beijinhos, espero que consigas o teu objectivo :)

Full-time Mom disse...

Digo-te mais, até fazer esta re-educação alimentar sempre tive tendência para engordar e agora é precisamente o contrário. Ainda agora na altura do natal emagreci um quilo, mesmo deitando o dente a todas as coisas boas que consegui! Bjs

4D disse...

claro, manda mail!

Isa disse...

Força nisso! Eu por aqui vou continuar a engordar mais um pouco ;)

vidasdanossavida disse...

Estou grávida de 23 semanas e ando com uma fome de cão e numa fase em que tudo me sabe pela vida. Da gravidez do meu filho engordei 8kg e não tinha fome nem desejos. Desta está a ser o fim e já engordei 8 quilos. Depois das festas e do aniversário do meu filho na sexta decidi entrar na linha. Para já, coca cola nem vê-las e cortar nos doces. Já agora, alguém sabe se gelatina conta como doce? É que acabei de atacar umas que sobraram da festa do meu filho... Mas tenho mesmo de cortar que já levei na cabeça do médico. Bjs e força aí nessa dieta. Vou acompanhar. Bjs

4D disse...

Força nisso!

A gelatina é permitida. Eu também já comi uma hoje:)

Violet disse...

Pois, uma das coisas que mais me custa é mesmo preparar refeicoes diferentes! Agora preciso do clique para voltar a boa rotina da alimentação! Acabaram-se as festas e os doces... Agora a ver se me porto mt bem ate ao meu aniversario dia 19! :)

Farmácia dos Amigos disse...

Está muito giro o post Sofia! Com tanta motivação e mais uma ajudinha acho que vai ser muito fácil cumprir o objectivo! ;) beijinhos. Marta

Graça Oliveira disse...

ola muitos parabens pelo post.
Eu estou na mesma aventura mas tenho que perder 8 a 10kg. Ja agora -profile- podia enviar -me esse plano de reeducaçao alimentar?. Estou mesmo a precisar de uma dica forte..
Bj e obrigada

Simplesmente Ana disse...

Podia ter sido eu a escrever grande parte deste texto. Tenho 1,67m e ando perto dos 60kg. Nada teve a ver com a gravidez, pois já lá vão 4 anos e nem 9kg engordei. Sinto-me bem com 4 kg a menos, mas os doces são uma tentação. Não ligo meia a comida, não tenho o prazer da mesa. Não quero saber de fritos nem enchidos, mas doces...venham eles. Mais alguma ansiedade à mistura. Ando há quase um ano a dizer que vou começar a alimentar-me correctamente, mas volto sempre atrás. Por isso, eu acompanho!

Nany disse...

Posso juntar-me ao grupo?
Eu até já só pedia 70 (até porque tenho cerca de mais 15 que esses) e a mesma altura.
O pior? A boca! É que eles comem coisas boas e eu esgalgada de fome a sopinhas, ai vida minha. Os doces não são problema, o meu grande problema chamam-se salgados.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...