Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Roubado a uma amiga

Nós psicólogos

Dormimos, comemos e também erramos. Não analisamos os nossos amigos nem família. Não somos videntes nem telepatas.  Deixamos de ser psicoterapeutas em reuniões familiares. Necessitamos de férias. Também ficamos doentes e não somos santos...
Estudamos muito e também temos vida pessoal e social. Namoramos e também sofremos por amor.
Ah, e por vezes também ficamos deprimidos, cheios de stress e de muito mau-humor!

17 comentários:

Claudia disse...

Ou seja... também precisam de psicologo de vez em quando :)

Alexandra Leal disse...

A filha dos meus padrinhos (que é afilhada dos meus pais) também é psicóloga. A irmã volta e meia atira-lhe um "Tu és psicóloga para os outros, mas para os daqui de casa parece que de vez em quando não tens noção das atitudes que tomas!".
Acho que deve ser mesmo por aí, se é a profissão dela não tem nada de a aplicar em casa (:
Quanto a mim era algo que nunca me imaginaria a ser, por isso vos admiro..

Beijinho de uma leitora anónima que comenta agora pela primeira vez*
[e que gostaria de ter força e tudo o mais que é preciso para chegar ao 4º rebento!]

Rita disse...

Posso acrescentar mais uma: não somos psicólogas dos nossos filhos e por isso não conseguimos resolver todos os problemas como se fossem clientes do nosso consultório!!!!!!

Duchess disse...

Claudia: sem dúvida, sem dúvida. Muitos de nós escondem-se atrás de um "tenho de fazer terapia por questões pessoais" mas passarmos por um processo terapêutico é fundamental. É preciso conhecermo-nos a fundo, percebermos o que nos toca, o que nos faz chorar, porque é que temos questões mal resolvidas...e resolvê-las. E não há autodidactas.
Até um psicanalista com anos e anos de experiência procura um colega, ainda mais experiente, para fazer a sua análise.

Duchess disse...

Alexandra: welcome! Bem-vinda e bem-vindos a todos os que vierem por bem:)
Quando era mais nova também cheguei a ouvir isso dos meus pais. É uma profissão com rasteira, sem dúvida, sem dúvida.

Rita: na mouche. E essa é tão difícil de engolir para quem está de fora.

Melancia disse...

Entendo-te bem.... passo por processo semelhante, sou médica, e não tenho solução para tudo... Ás vezes levo com cada pergunta fora do centro de saúde, no grupo de amigos, família... E também não sou médica do meu filho, jamais em tempo algum!!

Duchess disse...

melancia: as pessoas esperam demais de nós. Sempre convivi com essa sensação. lembro-me de ver o meu pai, também médico, a fazer consultas na praia, junto à água. Uma caturreira.

Melancia disse...

A mim não me incomodam as consultas na praia, ao telefone, via net ou até na casa de banho entre meninas, o que me custa mesmo é ficarem a olhar para mim, como se eu fosse muito burra, quando não sei explicar aquela dor fininha que começa no fundo das costas, sobe ao estômago e dá 3 voltas ao pescoço para terminar como uma sensação de calor na testa!!Essas perguntas é que me matam... normalmente digo que são gases!!! ehehehehhe

Duchess disse...

ehehehehehe. Está boa essa.
A minha frase preferida de todos os tempos é: "Estás-me a analisar".

Cris ♥ disse...

Infelizmente os psicólogos não são muito bem vistos precisamente por isso. Tenho uma amiga psicóloga e que é um bocadinho introvertida e anda muitas vezes "em baixo" e já ouvi muitos comentários do género "se eu precisa-se de um psicólogo e fosse ter uma consulta com ela saía pior do que entrava"!!! Santos da casa não fazem milagres!!!!!! Mas isso ninguém entende!!! É como uma pediatra quando mãe não perceber de cólicas!!! hehehehe

Full-time Mom disse...

Afinal são muito parecidos com os professores!
Na opinião dos meus sogros, os meus filhos também deviam já falar inglês tão bem quanto o português, uma vez que sou prof. de inglês. Eu lá vou respondendo que têm tempo de aprender quando forem para a escola, que sou só mãe deles (o que até faço com distinção!) e não professora.
Beijinhos

Ana disse...

Como em qualquer profissão, somos sempre humanos, acima de tudo. Temos as nossas idas pessoais e também erramos.
Quando estamos de folga, estamos de folga. Temos a nossa vida particular.

Rita disse...

Foi a este post que referiste? Já tinha comentado :)

Duchess disse...

:):) Já percebeste o engano, não já?
Curto-circuito minha amiga, curto-circuito.

Tranças disse...

lololo, amei.

Rita disse...

Duchess vou roubar, posso? às vezes tenho a sensação que as pessoas olham para mim como se eu fosse bruxa, têm medo que eu descubra o pior que há dentro delas... só para veres como as pessoas ainda são retrógadas: ia começar a estudar com miudo (organização e método)mas o pai voltou atras com a decisao qd descobriu que eu era psicóloga... A falta de informação desde sempre levou à ignorância!!!!!!
não me esqueci de responder ao teu email, mas infelizmente ainda não consegui ter tempo para organizar ideias...
Bjs

Duchess disse...

Rita, claro que sim. E sim, ainda há muita ignorância.
Mas eu também acho que o meu marido deve arranjar os problemas eléctricos cá de casa por ser engenheiro electrotécnico:)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...